domingo, 20 de novembro de 2016

Pais: Culpados ou inocentes?

Você já se perguntou quão melhor ou pior poderia ser sua vida se tivesse nascido em outra família? Caso negativo, não continue lendo.

Eu e meus pais chimpas.

Sabe quando você fica igual um retardado imaginando coisas impossíveis ou pouco prováveis como, por exemplo, ganhar na Mega-Sena? Pois é, várias vezes eu me pego imaginando que tipo de ser humano eu teria me tornado e que vida eu teria se tivesse nascido em outra família.

Pra contextualizar, venho de uma família de classe média baixíssima. Pai praticamente sem ensino e mãe com ensino básico. Tive uma infância tranquila, mas sem luxos e adicionais. Não fiz merdas de escolinha de futebol, natação, aula de violão... Nada disso. Durante parte da adolescência a sorte quase sorriu pra nós. Morei em uma casa boa e tinha roupas legais, comia do bom, ganhava uns trocados de mesada. De repente tudo mudou. Problemas com cobradores batendo à porta, luz e água sendo cortada, comida faltando, mudança pra casas piores... Até que voltou a equilibrar e eu entrei na vida adulta e também comecei a receber minha própria grana.

O discurso que sempre escuto de parentes e gente de fora é que o importante é ter saúde, e que no mais não pode faltar comida e um teto sobre a cabeça. Então porque eu sinto esta insatisfação e tristeza, que me fazem pensar em uma vida diferente caso não tivesse nascido filho dos meus pais? Será que sou um ingrato filho da puta?

Não acredito que esse retardado é meu pai.

Muitos vão dizer que tudo o que você deseja você consegue esforçando-se muito. Que é necessário batalhar e estudar ao máximo. Concordo em partes. Lembro que ao sair do ensino médio me peguei num dilema: como posso fazer faculdade se não tenho dinheiro? Confesso que nunca fui estudioso e talvez se tivesse batalhado desde o início teria conseguido alguma "bolsa passa fome" do governo. Mas eu via tudo com muito medo: o curso que eu queria era diurno e só existia em uma faculdade longe, diminuindo chances de trabalho e autossustento
.
Enquanto vários amigos e conhecidos cursavam a faculdade sendo bancados pelos pais, e muitos sendo bancados até conseguirem emprego, eu iniciava minha vida adulta já em um subemprego. Começava ali o inferno em minha vida.

Por não poder abandonar o emprego acabei não cursando o que eu queria, mas algo semelhante. E pior, em uniesquina. Cursar faculdade e trabalhar em subemprego é ser fodido violentamente pelo capeta. Que se foda as comparações com sírios, haitianos e demais infelizes. Existe sim sofrimento sem ser o causado por guerras e etc. seu FDP!

Durante toda minha vida me fiz as perguntas: por que fui colocado neste mundo? Por que meus pais me colocaram aqui sem planejamento algum? Como podem acreditar que eu sou o único responsável pelo meu sucesso ou fracasso? Fazer essas indagações ou mencionar qualquer coisa sobre isso com os pais ou em público, é ter a certeza de ser xingado e visto como um monstro ingrato de satã. As respostas também são sempre os mesmos clichês: que o amor isso, que devo honrar meus pais e agradecer por me terem dado comida e um teto, que o sucesso do filho independe dos pais e da criação e etc.


Eu admito que sou burro, medroso, inapto... Um lixo fracassado. Quase chego a acreditar que tudo de errado é culpa minha. Mas quando lembro que sou péssimo em esportes, que não sei nadar, que sou tímido e medroso, que nunca fiz uma viagem familiar, que não aprendi a dirigir com meu velho... Enfim, que não aprendi quase nada com meus pais, a não ser valores éticos e morais, vejo que a culpa pelo meu fracasso não pode ser só minha.

É FATO que filhos homens criados por pai caladão e mãe carinhosa em excesso se tornam medrosos, inseguros, tansos e lesados de mais para encarar o mundo. Também é fato que brasileiros, ao contrário de americanos por exemplo, criam seus filhos para que cumpram sonhos que os pais não realizaram, mas ao mesmo tempo não incentivam devidamente o crescimento profissional do filho. Outra diferença é que aqui existe um apego excessivo dos pais com os filhos e vice-versa, e é um apego que te puxa pra baixo. Abandonar o ninho e buscar novos horizontes longe da família não é muito comum. Não é atoa gente morando com sogra, construindo puxadinhos, construindo no lote dos pais... Isso também é um reflexo de como nosso país é pobre, pois muitas vezes os filhos são obrigados a fazerem isso devido a pobreza extrema.

Lembro de relatos na blogosfera de gente que foi expulsa de casa. Mas não poder sair de casa quando se é pobre imundo, não é lá grande vantagem. Eu poderia estar tentando a vida ilegalmente nos EUA, poderia tentar a vida em outra cidade, poderia ter um cafofo do meu jeito, poderia ter um lugar pra transar... Mas não. O único jeito de sair de casa sem ser visto como um insensível, um traidor que não gosta de ficar com a família, é pra foder minha vida com casamento e filhos. Viver em uma casa imunda, sem perspectivas, me puxa ainda mais pra baixo. Não adianta ter aluguel "grátis" se você mora num cortiço caindo aos pedaços e sente-se mal todos os dias.

Não vou entrar no mérito da genética porque "ninguém" no mundo ocidental pensa mais em se relacionar apenas com seus pares genéticos. Falar sobre isso também é ser acusado de racista, quando na verdade a ciência prova que a miscigenação pode levar a doenças e prole mais fraca. Eu sou um exemplo. Sou feio e cheio de problemas claramente oriundos de meu pai e mãe.


Eu poderia listar mais uma caralhada de coisas que meus pais fazem, fizeram ou não fizeram e que acabam me prejudicando direta ou indiretamente, mas este post ficaria ainda mais chato e com certeza não adiantaria para os que acham que os pais são divindades isentas de críticas.

Termino dizendo que amo SIM meus pais, sei que eles possuem qualidades que outros não têm. Mas nada vai mudar a minha concepção de que pais devem formar filhos de forma planejada, ajudar ao máximo no lado financeiro e criar alfas inteligentes, corajosos e preparados para enfrentar este mundo cruel. O pai precisa ser amigo do filho e ajudá-lo a se desenvolver e não ser um metido a Vegeta caladão que só dá ordens quando criança, e depois de adulto mal fala um oi. A mãe tem que entender que precisa criar um HOMEM, um MACHO! Então nada de frescuras e ensinamentos babacas de mulherzinha que deixarão o filhão frouxo. No mais, se querem mesmo ajudar o planeta: não façam filhos seus merdas!

----------------------- 

Confira os recados e tenha uma boa semana, pois você vai precisar.

Abraço do Lixo!

Próximo post 
próximo FDS (Podcast Mundo Lixo), anota aí! ;) 

Posts fixos: Atualização Financeira e Considerações sobre o mês - Todo dia 1º
Posts especiais: quando der na telha (de preferência aos sábados ou domingos);
Fala que eu te leio: umserlixo@gmail.com; inbox via face; formulário de contato ao lado; comente ou pombo correio para o lixão mais próximo. 

Curta a página do Lixosiga o Lixo, inscreva-se no meu canal lixo. Não vai acrescentar nada na sua vida nem na minha, mas vai lá, ou não...

Comente com Facebook ou pelo Blogger:

16 comentários:

  1. Realmente complicado falar dos pais.

    O foda é que nossos pais não aprenderam essas lições, por isso não nos ensinaram

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Inclusive meu pai já me disse uma vez que o pai dele não ensinou nada pra ele, por isso ele não me ensinava. Bela desculpa, pqp! ¬¬

      Abraço.

      Excluir
  2. O único lado bom é que fomos escolhidos para quebrar esse circulo vicioso.

    ResponderExcluir
  3. Escreve mais posts assim Lixo.

    Cara culpo meus pais sim pela minha miséria. Lembro-me uma vez que eles queriam porque queriam me colocar no Pedro II (melhor colégio publico (esquerdista) do RJ) e para isso eles todos os anos fazem provas para novos ingressos. Tá, mas qual o problema nisso?! Eu já estava indo para a 6ª série e a prova que iria fazer era para entrar na 5ª. Eu iria perder mais um ano de minha vida em estudos.

    Me inscreveram na prova, fui puto da vida fazer aquele lixo. Tudo o que queria fazer da minha vida não era estudar, odiava ter que ficar nesses presídios infantojuvenis (escola pública só tem marginal). Sem falar que eles pegaram minha grana para fazer isso (sim eu trabalhava na infância). Porra eu via aquelas patys e playbas indo fazer e só me dava mais raiva.

    Aquela prova me parecia grego, não entendia nada, Chutei no vácuo, tipo o Valdivia. Fiz, fui embora e esperei por um resultado que nunca chegou em minha casa. Lá foi a chimpa mãe e o chimpinha para a 2ª etapa da prova. Chegando lá, meu nome em nenhuma lista e ninguém entendendo nada pq meu nome não estava em nenhuma lista. Fui para a diretoria ver o que tinha acontecido. Então foi descoberta a razão, eu não tinha nota o suficiente para nem fazer a 2ª etapa.

    Fui embora feliz, mas disfarçando para minha mãe dizendo qual foi o motivo de eu ter "feito" a prova tão rápido.

    Agora eu te pergunto, como um pobre fudido, estudante de escola pública, filho de pais burros vai competir com um playbozin que até curso preparatório fez?

    Lembro-me que muitas coisas que caíram naquela prova eu só fui aprender quando estava terminando o ensino médio e outras tantas coisas que até hoje, depois de formado, não faria a mínima ideia de como resolver, como por exemplo as questões de raciocínio lógico.

    Até hoje os bonobos, acham que para fazer provas não é preciso estudo. Acha que é só fazer e fez. Não sabem o sacrifício que é preciso fazer entulhando o cérebro de bosta e matéria inútil, só para tentar um vaga fora da iniciativa escrava.

    É foda, que nasce pobre no bostil e de pais burros, já nasce condenado a miséria.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem mesmo como competir. Triste história amigo PS. Valeu pelo coment, grande abraço!

      Excluir
  4. o VDBP fez um post mitico sobre esse tema "A tristeza de nascer em uma família de burros"

    vidadebetapobre.blogspot.com.br/2016/10/a-tristeza-de-nascer-em-uma-familia-de.html

    ResponderExcluir
  5. "Sabe quando você fica igual um retardado imaginando coisas impossíveis ou pouco prováveis como, por exemplo, ganhar na Mega-Sena?"

    Nem me fale isso Ser Lixo, hahaha, perco horas sonhando em coisas que nunca vão acontecer na minha vida, uma pena isso, vida beta pobre é foda mesmo, só sonhando para "conseguir" as coisas, rs.

    Mas em relação ao post eu sou bem agressivo em relação a esse assunto, a minha pobreza é culpa sim dos meus pais, eu penso que a culpa não é 100% deles e sim uns 60% pois o bostil e outros fatores externos levam os outros 40%. Eu poderia estar muito bem de vida hoje se meu pai não fosse tão burro e largasse o osso de uma companhia de confecção que ele tinha em São Paulo, rendia altos valores mas como o trouxa não sabia administrar, pq ele é bem preguiçoso e ao mesmo tempo trabalhador (vai entender) e acabou terceirizando quase toda a empresa, deixou na mão de uns funcionários pilantras (que por sinal foram promovidos para sócios) que acabaram chamando um monte de funcionários, gastavam mais que a empresa lucrava, enfim, não vou dar muitos detalhes pq é uma história muito longa, porém no final ele faliu a empresa e contraiu uma divida enorme com fornecedores, funcionários, impostos e teve que vender todos as kitnetes que tinha em SP (cerca de umas 14 que hoje valeriam ouro) para pagar as dívidas que ele tinha contraído.

    Veja bem, se ele tivesse saído da empresa, largasse essa merda e vendido-a, poderia muito bem viver de renda com as kitinets e com o capital que sobrara, mas como ele é uma mula velha persistente que não queria largar o osso deu no que deu, ele estudou na USP engenharia elétrica, viajou o mundo todo, comeu em vários restaurantes tops de SP, comprava várias coisas "gourmet" na época como telefone celular tijolão, carro, comeu várias mulheres, até no final arranjar a boba da minha mãe. Eu sinceramente culpo só o meu pai pelo meu fracasso, minha mãe tem culpa em outras coisas, mas meu pai eu sinceramente não gosto dele, não chego a odiar mas tenho um enorme desgosto nele. Xingo pra caralho e falo umas verdades na cara dele mesmo, ele nunca me ensinou nada por ser um pai caladão estilo Clint Eastwood, não me dava presentes, não levava para passear, pescar, jogar futebol no parque, jogar video-games, nada! Pois vivia o tempo todo na maldita empresa.

    Só que não posso ficar preso a isso, não dá para ficar reclamando o tempo todo por isso daí que vem o meu sonho de me mandar daqui, quero ter uma vida do qual nunca tive, com carros, com os video-games, eletrônicos, etc que nunca tive e não vou poder ter aqui, viajar bastante, ter minhas coisas bacanas, é uma pena, o lance é não evitar esse tipo de pensamento e bola pra frente, a gente só tem uma vida e não dá para desperdiça-la reclamando. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pela história Fracassado-mor, me identifiquei bastante. Temos que seguir a vida, mas é muito triste ver como essa reação em cadeia provocada por fracassados nos afeta violentamente.

      Meu pai também teve empresa e claro que faliu e fez cagada como um bom pai de beta =/

      Excluir
  6. Olhe eu entao: Meu pai era um bebado que morreu quando eu tinha 3 anos, hoje tenho 22 anos. Ele nao me deixou nada, nada mesmo. Eu tenho irmas por parte de mae...minha mae já tinha se dado mal com o pai das minhas "irmas" e mesmo assim cometeu o mesmo erro com o meu pai. O pai das minhas irmas também era um bebado fracassado que nunca deu nada pra elas...minha mae nao aprendeu e conheceu meu pai, deu outro murro na ponta da faca. Eu fico pensando: Seria melhor eu ter morrido junto com aquele lixo do meu pai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que triste hein anon?! =/ E o mais foda disso é que você sendo homem ainda tem muito menos chance de se dar bem na vida do que suas irmãzinhas.

      Excluir
  7. Bom texto. Mas vou dizer, esse papo de "filho só com planejamento" também é balela. A vida é imponderável pra caralho e o fracasso é sempre o mais plausível. Por mais empenhados que sejam os pais, o risco do filho ter uma vida de merda é real. Quer saber a única coisa que um pai pode fazer para garantir que seu filho não vai se dar mal? Não fazer ele nascer. Tem um livro bom sobre esse assunto, chamado "Porque te amo, não nascerás!", de Júlio Cabrera e Thiago de Santis (este último se matou ano passado). No Google da para achar uma versão em PDF.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa anon. Valeu pela recomendação do livro.

      Excluir
  8. Sempre me faco essa pergunta tbm.Meus pais saos uns fracassados,sou um dos caras mais Fodidos q vcs poderiam conhecer, tenho 18 anos, terminei o ensino medio e estou desempregado e ja vem a pressao, querem q eu arrume um trabalho e faca uma faculdade ao mesmo tempo, eh mole, enquanto alguns colegas meus q tem pais bem sucedidos ficam so estudando e sendo sustentados pelos pais ai q inveja.Meus pais sao tao fracassados q nem um teto puderam me dar, ou seja, pode ser q eu nunca tenha uma casa pois casa de vdd no BR custa caro. por meus pais serem dois fudidos isso refleti na minha vida pessoal outro dia uma garota me chamou pra sair tive q inventar uma desculpa pq n tenho roupa e nem dinheiro pra bancar um rolezinho isso doi cara e muito, por isso nunca tive um namoro serio pq namorar custa caro tbm.Nem pedir pra nascer nessa merda de vida e minha mae fica dizendo q eu tenho q estudar e tals pra sair dessa vida e ter coisas boas no futuro mas, uma coisa eh certa, eu queria ter as coisas agora sendo q minha adolescencia foi uma merda so usava roupa velha nunca fui numa festa,show e etc por falta de grana tds os meus colegas iam e eu ficava so observando q raiva e, os culpados sao os meus pais por terem me colocado nesse mundo sem ter um planejamento e ainda dizem q tenho q vencer na vida kkkkk mds q piada ou seja Nos te colocamos nesse mundo filho n temos nada para te dar so carinho e amor o resto como bens materias vc que vai Tentar conseguir se vira kkkk.

    ResponderExcluir
  9. interessante o teu ponto de vista,
    gostei do blog
    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Os pais não educam mesmo. Eles não falam das inúmeras possibilidades de profissões, cursos o que for. Eles falam o básico da classe média alienada, que é fazer uma faculdade ou fazer concurso. Aí se passa anos fazendo faculdade e fracassando devido a internações no hospicio e tratamento psiquiatrico forçado. O cerebro vai pro lixo, e se termina no suicidio.

    ResponderExcluir