sábado, 25 de fevereiro de 2017

Carnalixo: Eu já fui um Macaco no Carnaval

Por incrível que pareça, eu não sou e nunca fui totalmente contra o carnaval.





Carnaval na adolescência

Se me lembro bem, eu ainda era um macaquinho feio e desnutrido quando comecei a frequentar o carnalixo da minha cidade. Eu tinha por volta dos 14 anos e dificilmente podia ficar na rua até 0h. Como eu era feio e um pouco tímido, foi perder o BV só por volta dos 14, 15. Olhando hoje, e comparando com diversos lixos que frequentam o blog, pode até parecer que foi uma idade normal. Tem caras que nunca beijaram uma mulher mesmo depois de adulto. Só que no meu círculo social, a maioria com 12 anos já tinha beijado e com 14 já pegavam todas as menininhas do colégio.

Então, essa época do ano era uma das únicas oportunidades que eu tinha de tentar ser menos lixo perante amigos e minha mente de jovem idiota. Lembro que na época não tinha tanta fiscalização de menores e de bebidas, então era só achar alguma gatinha meio tonta, era só chegar em várias... É carnaval! Todo mundo pega alguém. Errado!


Eu fazia muito sucesso com essa daí... A garrafinha de maracupinga.


Na época eu andava com amigos de bairro e de escola, em sua maioria negros, estilo malandragem. E eu até fui assim, só que eu ainda tinha aquela cara de beta bonzinho, então várias preferiam pegar os malandros e eu acabava sobrando. Claro que cheguei a pegar algumas menininhas, mas lembro de chorar no meu quarto sozinho no final de um carnaval onde eu não peguei simplesmente ninguém. E se você não pegasse ninguém era chamado de PN (pega ninguém, pega ninga) e zoado pela galera toda por dias, meses e anos. Então, por um lado eu me divertia com amigos, estava vivendo a adolescência, mas por outro eu não me encaixava por ser feio, um pouco tímido e burro e não fazer a linha malandro canalha.

A minha adolescência e época de criança foi muito boa, não me arrependo de quase nada. Mas, penso que talvez se tivesse crescido em um ambiente mais classe média eu teria participado de outras coisas, viagens, festas diferentes e menos um pouco essa macaquice de álcool, axé e pegação. Também não tinha tanta pressão na época por estudos e eu malandrei muito, sem que meus pais se importassem tanto. A culpa maior talvez seja minha, mas é engraçado como naquela época eu tinha muitos colegas e amigos pra ocupar o tempo com bobagens e hoje se eu me trancar no quarto dificilmente alguém me liga.


Carnaval na vida adulta

Mulheres que eu pegava na adolescência, que eu comecei a pegar de vez em quando e que eu nunca peguei praticamente.


Em dado momento da minha vida imunda, lá pros 17 anos, eu me mudei de casa e já estava desesperado para começar a trabalhar, visto que minha família estava afundada em dívidas e a pressão por dinheiro e status encima de um jovem chimpa é descomunal. Inevitavelmente eu me afastei de vários amigos da adolescência e comecei a ter mais amigos brancos e de classe média.

Com meus 18/19 anos consegui o primeiro emprego e foi aí que eu "curti muito" e ao mesmo tempo me fodi muito. A maioria dos meus amigos classe média brancos eram sustentados pelos pais. Não eram ricos, e por diversas vezes eu tinha mais grana que eles, visto que eu trabalhava e tinha um salário só pra mim praticamente. Mas, no geral todos ganhavam de mim em tudo: beleza, casa, família grande e unida, viagens, etc.

A pressão por pegar mulher nessa idade, e com essa nova turma, era de certa forma aceitável. Tinha um ou outro que pegavam geral, e eles competiam entre si, não enchiam muito o saco de quem não pegava ou pegava poucas. O convívio e o ambiente social era muito propício a fazer novas amizades e conhecer novas pessoas, novas mulheres. Na adolescência a gente jogava bola e conversava na rua e só. Só conhecia as meninas do colégio e pra conhecer meninas novas era só carnaval mesmo. Nem internet tinha direito e eu só fui ter depois de velho.


Eu já pintei o topete kkkkkk


Então, é claro que eu pensei que tudo que havia sonhado na adolescência iria começar a se realizar: festas, sexo, curtição e sucesso. Errado de novo! Eu frequentava várias festas, churrascos e etc. No carnaval ia pra cidades semi-boas com a galera. Bebia todas, vivia a vida sem limites, mas nem por isso estava sendo do jeito que eu imaginei.

Não vou mentir, peguei muita mulher nessa época. De vários carnavais que passei, um ou outro eu não peguei mulher direito, sendo que teve ano de pegar mais de 20 em um dia. Acontece que durante um tempo foi até legal e pra muitos isso pode parecer coisa de alfa, mas beijo era apenas beijo. Ainda tinha uma importância muito maior. Na adolescência então nem se fala, valia ouro. Tinha aquelas coisas de beijar atrás da escola, da igreja, de tentar passar a mão e a menina tirar e etc. Hoje os adolescentes e as pessoas em geral estão transando e não tem mais isso de beijar só. Tem cara que já conta quantos boquetes ganhou no carnaval.

Enfim, a maioria que eu beijava no carnaval e também em baladas eram submedianas e às vezes medianas. Notas 7? Dificilmente. 8 e 9 eu nem lembro. E eu nunca comi ninguém no carnaval. NUNCA. Hoje isso é comum e, mesmo na época, alguns amigos transavam e a gente ficava sabendo de várias putarias que aconteciam. Eu só conseguia beijar algumas em festas, carnaval e círculo social, por que com o tempo deixei de ser um pouco tímido, sabia ser piadista e sarcástico e não aparentava ser um mendigo. Com minha graninha eu podia comprar bebidas, roupas mais ou menos e pagar as coisas (mas eu não pagava bebida pra mulher nem fodendo, mesmo ainda sendo um chimpa completo).


O lado bom do carnaval pra mim



Mesmo eu sendo quase um completo fracasso na parte que interessa (pegação), eu curtia e não descarto curtir futuramente. Eu odeio o meu trabalho e o mundo trabalhista com a força de mil favelados fazendo arrastão na praia, então essa época era pra mim a maior libertação do mundo trabalhista. Era também a única possibilidade de mudar um pouco de ambiente e de viajar, pois minha família nunca viajou comigo e eu nunca tive companhia para viajar em outras épocas do ano.

Tem vários retardados que falam que vão pra dançar, pra ver o movimento e outras coisas que não fazem sentido no meio de um ambiente micareta. Então, é claro que a maioria está ali pra pegar alguém ou no mínimo para o "vai que...", se aparecer alguém interessante ou uma oportunidade que meu cérebro retardado grite mais alto, esqueço que "vim pra pular carnaval" (pular carnaval é muito tosco kkkk). Eu também ia pra pegar mulher. Assim como na adolescência, continuava a ser uma oportunidade de pegar mulheres mais dispostas (bêbadas, traindo, loucas ao extremo e até feias) a ficar com um feio como eu.

Meus amigos, apesar de não serem exatamente amigos, são legais e eram legais na época. São os verdadeiros colegas de golo, mas eram bons colegas. Então, por mais chimpa que pareça, era legal curtir com eles e zoar com o gado, num verdadeiro espetáculo Pão & Circo. Tudo isso proporcionado por doses cavalares de álcool, é claro. Pra quem não bebe nada de álcool, não faz sentido nenhum passar carnaval de rua.


Conclusão

Hoje eu tenho uma visão muito diferente das coisas, não pego mais barangas (talvez beirando o coma alcoólico eu pegue), sou mais responsável, gosto de economizar e aportar e tenho pouca paciência para várias chimpagens que acontecem no carnaval. Quando você vai ficando mais velho, também fica mais cansado e desanimado. O álcool parece um legítimo veneno para seu corpo e os momentos caseiros são tão bons ou melhores que baladas, churrascos, saídas em geral.

Mas, a vida não faz sentido nenhum e a gente não sabe o dia do amanhã. Não é pra ser um carpe diem retardado e nem pra justificar falhas de caráter como vadias imundas que traem o marido e fazem gangbangs. É pra tentar achar um equilíbrio. A independência financeira ou a semi-if devem ser buscadas, mas dependendo de como for sua vida, é melhor "sobreviver" um pouco lá fora do que só no quarto.

Muita gente fala que festas, carnaval e esses ambientes são falsos, ilusórios, e de pessoas que estão ali fazendo que são felizes. Mas, eu acho que é justamente pra isso que esses ambientes servem. Pra você esquecer um pouco a vida miserável e imunda, pra afogar as mágoas, pra jogar conversa fora e pra fugir um pouco dos seus medos diários.


Às vezes beber só no quarto chorando não é o bastante.


Eu tenho começado a pensar que temos que ter mais equilíbrio em nossas vidas. Claro, que tudo depende do seu gosto. Se não gosta de ambientes como carnaval e baladas, nem mesmo bêbado, não frequente! Tenha em mente os princípios e regras já faladas várias vezes no mundo da real, do MGTOW, da blogosfera de finanças e de outros canais e ajuste com o que for melhor pra você. Não coloque mulheres no pedestal e não gaste mais do que pode. Hoje meus colegas de golo também estão mais centrados, muitos estão namorando, correndo atrás da carreira e um ou outro ainda fazem merdas como descolorir o cabelo ou a barba no carnaval kkkk. Se você tem colegas que não são chimpas ao extremo, vá lá e saia uma vez quando eles te chamarem.

Enfim, tudo depende de como está sua vida e de como você quer sobrevivê-la. Eu tentei por várias vezes abandonar meu passado, largar o álcool completamente, viver só de estudos e de coisas ditas produtivas, mas não deu pra mim. Se você não sente falta nenhuma de sair, não saia. Mas, mesmo para outras coisas da vida que você abandonou quando se tornou um homem melhor, se alguma delas te faz minimamente bem, se houver equilíbrio, não vejo por que não. 

O ideal seria buscar um estado mental de equilíbrio e satisfação, sem cair na matrix da vida e sem se colocar pressão ao extremo. Essa pressão por sucesso e essa mania de nos comparar com os outros a todo momento, também é prejudicial. De todas as chimpagens que já fiz, de tudo que eu falei neste post, o que eu mais me arrependo é de não ter aproveitado os momentos apenas pelos momentos, e de ter ficado martelando minha mente com desejos em excesso por pegar mulheres e fazer bonito para os outros.

----------------------- 

E o carnaval pra você? Como era, como é? Você acha que é possível equilibrar uma vida fora e dentro da matrix?

Abraço do Lixo!

Próximo post quarta (01/03) 
Atualização Financeira e Considerações sobre o mês, anota aí! ;) 

Posts fixos: Atualização Financeira e Considerações sobre o mês - Todo dia 1º
Posts especiais: quando der na telha (de preferência aos sábados ou domingos);
Podcast Mundo Lixo: todo FDS (ou quando der);

Fala que eu te leio: umserlixo@gmail.com; inbox via face; formulário de contato ao lado; comente ou pombo correio para o lixão mais próximo. 

Curta a página do Lixosiga o Lixo, inscreva-se no meu canal lixo. Não vai acrescentar nada na sua vida nem na minha, mas vai lá, ou não...

e com o Facebook:

15 comentários:

  1. Na verdade não curto carnaval.Pode ser que antigamente fosse uma festa realmente divertida, mas hoje está completamente distorcida.As pessoas confundem diversão com ficar louco de porre e fazer uma série de cagadas( logicamente tem exceções ) que podem vir a resultar no fim de suas vidas sem sentido.Prefiro mais ir para um sítio ou curtir a natureza.Acho que temos que buscar equilíbrio para tudo e esse é o segredo para tentar viver.O que falta para eu conseguir atingir este tal equilíbrio é uma renda um pouco maior, pois tenho muita vontade de viajar e conhecer culturas diferentes, pois creio que quanto mais conhecemos o mundo e suas diversidades, mais ampla a nossa mente se torna e como consequência evoluímos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje eu também curto uns programas mais de boa, mas ainda gosto bem de uma cerveja. O carnaval de rua é mais pra isso de doideras mesmo. Aí sempre tem algum casal que passa raiva, sempre tem aquela mina que fala que foi assediada, quando deveriam ir pra outro lugar.

      Viajar e fazer programas mais "cult" são mais a minha praia hoje também, mas tem horas que acho chato e cansativo. A mesma chatice que é pra alguns, passar o carnaval no meio do povão, também é pra outros ficar numa fila por horas pra conhecer determinado lugar. Acho que tem gosto e tempo pra tudo. Na real, hoje eu tô de boa no meu quarto kkkkk

      Excluir
    2. Verdade!!!Gosto é gosto!!!Kkkk

      Excluir
  2. Bom texto. Vc está evoluindo como pessoa e como escritor. Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Interessante o seu texto e você fez bem em assumir que já pegou várias mulheres.

    Os comentaristas é que são muito extremistas. Ou você é o Cristiano Ronaldo que come tops todos os dias ou você é um beta imundo que jamais pegará ninguém. Há diversos níveis entre esses dois extremos.

    O grande problema é o custo. Eu tb poderia queimar a minha grana e detonar os meus aportes para pegar mulheres mas e daí? Vou detonar o meu suado dinheiro para pegar rodadas? Não mesmo. Sem contar que os cinco dias do carnaval são bem úteis quando bem usados.

    Beta Zumbi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, tem um meio termo e várias circunstâncias envolvidas.

      Realmente o custo benefício não é dos melhores. Não me arrependo muito, pois talvez hoje eu estivesse no quarto pensando em como seria. Alguns colegas de golo ainda me chamam pra ir em um ou outro carnaval, e talvez um dia eu vá, mas não será a mesma coisa e serei muito mais exigente. Ficar em casas fedorentas não dá mais, tem que ser uma casa ou apartamento bom, com mais de 1 banheiro e conforto suficiente para todos. Outra coisa é você ir no meio do bloco The Walking Dead com subaquentos e gente feia ao extremo. Depois da adolescência eu sempre andei no meio de medianas e no mínimo submedianas. Hoje então, só me daria por satisfeito naquele bloco do Harém em Salvador ou Porto Seguro, sei lá.

      Mas é isso aí, temos que saber usar nosso dinheiro e também ter um controle da mente pra não ficarmos bitolados com a vida das pessoas ditas "normais".

      Excluir
  4. No Carnaval é um daqueles momentos em que mando um FODA-SE ON.

    Bebo com se não houvesse amanhã, pego qualquer uma mesmo sem grandes critérios, e confesso que cometo pequenos furtos: celulares, tennis, carteiras, bebidas.

    Comecei com isso depois que fui roubado. Os canalhas me deixaram de cueca. Fiz e faço para repor o prejuízo, até que ganhei gosto pela coisa, pois é muito fácil.

    Última "aquisição" um Galaxy S6.

    Anon Ladrão nas horas vagas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PQP anon. Roubar já é de mais seu lixo. Apesar de não concordar, se quer roubar é melhor fazer trambiques como receber bolsa família, instalar gatonet, ou vire funça (mesmo eu não considerando exatamente roubo).

      No mais, me fale onde você mora pra eu nunca visitar. Abraço, seu imundo nojento!

      Excluir
    2. Alguns anos atrás quebrei a cara de um fdp igual a você no bloco do afroreggae, foi a melhor sensação da minha vida. Foi como se eu me vingasse dos assaltos e sensação de insegurança que sofri durante anos no RJ.

      Meteu a mão no seu bolso? Já mete o socão berrado quebra ladrão!

      Diz aí anon sua cidade pra ir aí te quebar também.

      Excluir
  5. Fala lixo, excelente post, tudo é uma questão de equilíbrio, concordo perfeitamente contigo.
    Eu já sai pra bloquinho e etc, hoje em dia não saio porque to sem grana, e as vezes ficar pensando que não vou pegar ninguém também é foda, mas minha galera é brother, então mesmo não pegando ninguém, vale a pena sair com a galera sim.
    É isso, faça o que te faz bem, sem ir demais ao céu ou ao inferno.

    abs.

    ResponderExcluir
  6. Carnaval pra mim é pra ficar em casa descansando e arrumando as coisas. No dia que tiver mais grana, vou viajar pra um lugar que não tenha carnaval. É muita gente bêbada e irresponsável na rua ao mesmo tempo, não é pra mim!

    ResponderExcluir
  7. Acho que quem é solteiro deveria aproveitar muito estes carnavais. Eu aproveite pouco.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...